Contar aos amigos

A Junta de Freguesia de Águas Santas

Tem um novo site e está nas redes sociais...

Informação importante - Balcão Multisserviços

Informam-se todos os cidadãos que a partir de 10 de Fevereiro vai funcionar nesta Junta de Freguesia um novo Serviço de Atendimento (BALCÃO MULTISERVIÇOS), onde estão disponíveis as seguintes Valências:IMT, Seg. Social, C.G.A., A.D.S.E e DGAJ.

Aviso:

Registo dos Artistas da Freguesia

Vamos ser um parceiro na divulgação/promoção dos artistas. Ficha de Inscrição

Toponímia

Origem do Topónimo

São diversas as tentativas de alguns estudiosos para explicarem as origens do topónimo, explicações quase todas de carácter místico e religioso.

Estas vão desde a devoção que os cavaleiros do Santo Sepulcro, a quem é atribuída a fundação do mosteiro, tinham por Santa Maria de Águas Santas, até ao facto de, junto da fonte que ali existia, próxima do dito mosteiro, terem sido martirizadas pelos romanos três irmãs, Santa Bazília, Germana e Vitória, e crucificado seu pai, Wilge Forte, por não terem renegado a fé cristã, cujo sangue santificou as águas. Finalmente a do aparecimento da imagem de Nª Senhora do Ó, padroeira da freguesia, junto de uma fonte, cujas águas teriam ficado milagrosas, «carácter benéfico das águas, preferivelmente a algum culto pagão das mesmas», tese sustentada pelo padre Domingos A. Moreira, no seu trabalho sobre a toponímia maiata.

Conta a lenda que em tempos remotos, mais propriamente cerca do século II depois de Cristo, existiu um convento na freguesia de Silva Escura do concelho da Maia. Nesse convento era venerada a Virgem Santa Maria, cuja imagem encimava o altar principal da capela do convento.

Certo dia, soube-se no convento que os romanos estavam prestes a atingir o Rio Ave na sua missão de destruir tudo que se relacionasse com os prosseguidores de Cristo na terra.

A madre-superiora do convento, de nome “Sophia”, receando que os romanos maculassem a imagem da Virgem, foi, pela calada da noite, acompanhada pelas noviças, Krissana e Mafalda, esconder a imagem a alguns quilómetros do local.

Depositaram-na embrulhada nuns panos no meio dum silvado, junto a uma fonte.

Regressaram ao convento. Três dias depois, o convento era invadido pelos romanos que chacinaram todas as freiras.

Tempos depois, uma mulher que fora buscar água à citada fonte, reparou que no meio do silvado estava qualquer coisa estranha. Tomou o embrulho, retirou os panos e deparou com uma linda imagem de Nossa Senhora chorando.

Aquela mulher correu a dar a notícia. Uma multidão veio ver e logo apelidaram a fonte de “FONTE DAS ÁGUAS SANTAS”.

Mais tarde, foi construída naquele local uma igreja que se passou a chamar a Igreja das Águas Santas.

Assim surgiu o nome da freguesia de Águas Santas uma das maiores do concelho da Maia.

 

Crenças Populares Portuguesas

Transmissão Oral (Águas Santas)

No Comments Yet.

Leave a comment

You must be Logged in to post a comment.